Ibitipoca – Minas Gerais

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Fala galera!!! O post de hoje será para contar um pouquinho da experiência que eu vivi em Ibitipoca. Fiz essa pequena viagem com meu amigo Tony  Arrighi. Nela tivemos experiências incríveis, mas também alguns percalços. Contarei tudo ao longo do post. 

Prainha

A viagem

A Vila de Conceição de Ibitipoca é distrito de Lima Duarte e fica há 27 km de lá. Quem sai de Juiz de Fora e vai de ônibus, é necessário ir para Lima Duarte e depois para Ibitipoca.

Tivemos um começo de viagem difícil, apontando que tudo poderia dar errado, mas ao final tudo deu certo e a viagem correu muito bem. 

Saímos de Juiz de Fora com destino à Lima Duarte às 6:00h e nossa intenção era pegar o ônibus que sobe 7:30 pra Ibitipoca. Entretanto, esse ônibus só circula no final de semana e como fomos no meio da semana o próximo ônibus com destino à Ibitipoca era às 15:15 h. Esse foi nosso primeiro impasse na viagem, mas logo conseguimos resolvê-lo.  A solução que encontramos foi pedir carona de Lima Duarte até Ibitipoca e isso foi uma tarefa bem fácil. Com menos de 20 minutos já conseguimos carona até uma fazenda próxima à Ibitipoca. Parecia que tudo estava resolvido até que o meu amigo, Tony, disse que havia esquecido nossa barraca de camping em Lima Duarte. 

Quando resolvemos ir para Ibitipoca reservamos o camping Ibitilua para acampar, pois era uma solução barata e viável no momento. Logo, sem nossa barraca ficaríamos sem lugar para dormir, previamente. 

Ao chegarmos na entrada da fazenda ficamos no dilema do que fazer em relação à nossa estadia: eu queria que um de nós fosse para Ibitipoca e achasse alguma solução  que nossos bolsos conseguissem pagar e o outro voltasse para Lima Duarte para procurar a barraca. O Tony não queria que os dois se separassem, já que podíamos nos desencontrar. Acabei concordando com ele e subimos juntos, novamente de carona para Ibitipoca.

Chegando no camping Ibitilua e eu perguntei se eles locavam barracas, porém nos informaram que não, mas havia uma cabana que cabia exatamente duas pessoas e não iria diferir muito do valor do camping. Logo aceitamos essa alternativa e demos nossa barraca como perdida. Todavia, ao final de nossa viagem conseguimos recuperar nossa barraca, o que contarei ao final desse post. 

Cabana que ficamos hospedados.

Ibitipoca

O camping Ibitilua fica na rua principal e dista cerca de 3 km do Parque Estadual. Como não tínhamos carro, no primeiro dia pegamos carona até o parque e depois descobrimos que existe uma kombi que sai diariamente às 7:30 da frente do mercado, que se localiza nessa mesma rua.  

No primeiro dia resolvemos fazer o circuito do Pico do Pião e também o circuito das Águas.

Vista do Pico do Pião

O Pico do Pião fica a 4410 metros do camping do parque e foi uma excelente opção conhecê-lo, pois a visão lá de cima é sensacional. Na volta, passamos na Gruta dos Viajantes e na Gruta do Pião. Também fomos ao Lagos dos Espelhos, o qual é muito bonito e ficava próximo ao camping. 

Já o Circuito das Águas conta com um percurso total de cerca de 6km, sem subidas ingrimes, facilitando o trajeto. Pessoas de todas as idades conseguem fazê-lo sem grandes problemas. O melhor desse passeio é que ao longo do caminho você se depara com muitas cachoeiras e há a possibilidade de tomar um banho nos poços. 

Não recomendo fazer o trajeto completo que fizemos no primeiro dia ( Pico do Pião + Circuito das águas) a pessoas sedentárias, pois há muitos morros ingrimes no caminho para chegar até o Pico do Pião, além disso ao final do dia percorremos 29 km e para quem não está acostumado, esse é um número expressivo. Logo, minha dica é adequar o passeio à sua condição física, levando em consideração as peculiaridades de cada trajeto, como eu mesmo especifiquei aqui. 

Para dar início ao segundo dia de passeio decidimos acordar cedo a fim de conseguir fazer o circuito da Janela do Céu com calma, o que foi uma excelente escolha.

Acordarmos às 6:00 h, tomamos café e fomos para o parque. Começamos a subir para o nosso destino por volta de 8:00 h e às 10:00 h já estávamos na Janela do Céu. 

Janela do Céu Ibitipoca
Janela do Céu

Tivemos muita sorte de chegar em um horário que não tinha quase ninguém lá e, com isso, conseguimos apreciar muito a paisagem e também tirar algumas fotos. Confesso que não tinha tanta expectativa com esse passeio e acabei surpreendendo-me bastante. Logo depois fomos à Cachoeirinha, a qual fica à 400 metros da Janela do Céu e foi o ápice da viagem para mim. Confesso que senti uma paz tão grande lá, a qual não lembro de sentir antes. Na Cachoeirinha existe uma “prainha”, onde se  pode ficar sentado apreciando aquela vista que foi esculpida por Deus.

Cachoeirinha Ibitipoca
Cachoeirinha

Durante nossa descida em direção ao camping o sol estava bem quente, então decidimos ir à Cachoeira dos Macacos para darmos um mergulho. A Cachoeira dos Macacos fica no final do Circuito das Águas. A água é um pouco gelada, mas o banho foi tão bom que compensou. As águas em todo parque são geladas, o que acaba sendo mais agradável na época do verão, mas nada impede de aproveitar um bom banho mesmo no inverno. 

Considerações

Só faça o Pico do Pião e a Janela do Céu se você estiver realmente preparado fisicamente.

O Circuito das Águas é lindo e você ganha muito em percorrer ele todo. Você verá muitas quedas d’água pela frente.

Agradecimentos

Gostaria muito de agradecer ao José Alvim, de Juiz de Fora, que cedeu imagens do parque feitas por ele com seu drone. Ele foi de uma educação e de uma genoridade ímpar. Muito obrigado. 

Gostaria de agradecer, também, ao rapaz do camping Ibitilua,  quem conseguiu recuperar nossa barraca esquecida em Lima Duarte. Ele teve a boa vontade de perguntar ao pessoal da região onde deixamos nossa barraca se alguém tinha achado e guardado, conseguindo recuperá-la. 

Circuito das Águas

Janela do Céu

Veja também nosso texto sobre o Pico da Bandeira.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *